Capacidade ociosa x produtiva: entenda o que representam para a fábrica6 min read

Assim como todo tipo de negócio, a fabricação também envolve planejamento. E não é qualquer planejamento: ele deve ser minucioso, envolvendo, principalmente, as questões financeiras da indústria. Um dos principais pontos do planejamento produtivo está no conhecimento e entendimento da capacidade de uma fábrica. Essa capacidade pode ser dividida em dois tipos: produtiva e ociosa.

Devido às recentes crises financeiras e outros fatores que beiram questões culturais, o Brasil costuma trabalhar com uma capacidade de produção bem menor que a verificada em outros países. No geral, em países desenvolvidos, as máquinas costumam atuar 24 horas por dia, enquanto, no Brasil, segue a regra das 44 horas semanais.

Quer aprender mais sobre o assunto? Então continue com a gente! Vamos explicar o que é a capacidade produtiva e o que é a capacidade ociosa, destacando como ambas impactam o negócio e como calculá-las. Não perca!

O que é capacidade produtiva?

A capacidade produtiva diz respeito ao número máximo de itens que uma empresa consegue produzir, com os recursos disponíveis, em um tempo determinado. Envolve a sabedoria de estimar a demanda e as vendas do processo produtivo.

A previsão de demanda é feita com base no interesse do consumidor diante do que há disponível no mercado. Depende diretamente das condições econômicas e de consumo do momento. A capacidade produtiva deve ser alinhada ao máximo com a demanda. Já a previsão de vendas é uma estimativa da receita que a empresa pretende receber após um tempo futuro determinado.

A principal utilidade da capacidade produtiva está em definir uma linha de tempo em que toda a produção será realizada. É importante lembrar que todo planejamento empresarial depende da estimação da capacidade produtiva do negócio, ou seja, são fatores interdependentes.

Os benefícios da estimação da capacidade produtiva antes do processo começar são vários. Veja, abaixo, alguns deles:

  • contribui na definição de metas mais assertivas;
  • colabora na melhoria da produtividade dos funcionários;
  • mantém os níveis ideais de estoque;
  • colabora na tomada de decisão;
  • ajuda na identificação de gargalos e outros pontos de melhoria; entre outros.

É importante sempre lembrar que uma capacidade produtiva alta nem sempre é um aspecto positivo. Produzir mais do que se vende significa, muitas vezes, que há estoque em excesso, o que também gera custos e pode trazer grandes problemas.

Quais são os tipos de capacidade produtiva?

Os estudiosos da área de Administração da produção e logística determinaram que existem quatro tipos de capacidade produtiva. São eles:

Capacidade instalada

Essa é a capacidade produtiva na qual a indústria determina qual é a capacidade máxima, mas sem considerar qualquer tipo de perda.

Capacidade disponível

Assim com a capacidade instalada, essa capacidade produtiva não considera as perdas e, além disso, também considera apenas a capacidade realmente disponível.

Capacidade efetiva

Aqui, são levadas em consideração apenas as perdas previsíveis, como as manutenções, por exemplo.

Capacidade realizada

Já na capacidade realizada, são consideradas, também, as perdas não previsíveis, tais como as decorrentes de incêndios, enchentes, ataques de roedores etc.

Como planejar a capacidade produtiva?

O planejamento da capacidade produtiva pode ser feito em dois passos. O primeiro diz respeito à definição da demanda do produto, que, caso não seja o suficiente, exigirá novos investimentos no setor.

O segundo passo está em projetar as vendas, prevendo sempre as possíveis oscilações. Isso é importante principalmente se for um negócio sazonal, como, por exemplo, uma sorveteria ou uma loja de artigos natalinos.

Como calcular a capacidade produtiva?

O cálculo da capacidade produtiva é feito por meio de cinco passos. São eles:

1º passo: Estimar a capacidade instalada

Como visto acima, a capacidade instalada é aquela que não considera as perdas. Nesse caso, considera-se apenas a multiplicação das horas utilizadas na produção pelo número de itens produzidos nesse tempo.

2º passo: Estimar a capacidade disponível

Agora é a hora de calcular a capacidade produtiva por cada item. Basta dividir o tempo utilizado na produção de cada produto pela capacidade de produção da máquina.

3º passo: Estimar a capacidade de produção dos mais variados produtos

Há uma diferença entre o tempo e a quantidade de insumo utilizado na fabricação de cada produto. Após calcular a capacidade disponível de cada um deles, some-os.

4º passo: Estimar a capacidade efetiva

Aqui entram as perdas planejadas, como as manutenções preventivas, por exemplo.

5º passo: Estimar a capacidade realizada

Por fim, são consideradas, também, as perdas não planejadas, como um equipamento quebrado ou a falta de energia elétrica.

Para obter a capacidade produtiva mensal, basta somar todos os valores encontrados e multiplicá-los por 30 dias.

Como aumentar a capacidade produtiva?

Existem várias formas de aumentar a capacidade de produção de um negócio. Algumas delas são: aumentando um turno, terceirizando o processo produtivo, utilizando mais as máquinas, entre outros.

O que é capacidade ociosa?

A capacidade ociosa representa tudo aquilo que não está sendo utilizado no processo produtivo. Por exemplo, maquinário sobrando, mão de obra sem função, material em excesso etc. É um fenômeno não lucrativo para a empresa, com consequências devastadoras em curto, médio e longo prazo.

A principal diferença entre a capacidade produtiva e a capacidade ociosa está no número de itens produzidos que não foram comercializados. O lado bom de ter noção da capacidade ociosa do negócio é o de poder calcular o quanto se perde quando as máquinas não estão em atividade. Para calcular a capacidade ociosa de uma fábrica, é preciso apurar os gastos fixos da produção e retirar deles os resultados encontrados nos cálculos da capacidade produtiva.

Existem algumas dicas para quem pretende diminuir a capacidade ociosa da sua empresa. Algumas delas são: substituir com frequência os equipamentos com bastante uso por equipamentos novos, capacitar os funcionários com a intenção de diminuir o desperdício produtivo, adotar um software de gestão empresarial, entre outros.

Portanto, para analisar a capacidade produtiva e a capacidade ociosa da sua empresa de forma efetiva, basta seguir as nossas dicas e colocá-las em prática o quanto antes. Temos certeza que o seu negócio será um sucesso!

Gostou de aprender mais sobre capacidade ociosa e capacidade produtiva? Então, não deixe de saber também sobre tecnologia na indústria têxtil e o que há de mais moderno no setor!

Tags: