Descubra a importância do polo têxtil do Nordeste para o Brasil!6 min read

Praias exuberantes, cultura marcante, artesanato apreciado, culinária saborosa e um campo fértil para a indústria têxtil. Sim, muitos desconhecem a importância do polo têxtil do Nordeste para a economia brasileira e, por isso, resolvemos produzir um post sobre o tema.

A indústria da moda é uma das mais dinâmicas e produtivas do mundo. No Brasil, o polo têxtil da região do Agreste — composto por mais de 50 municípios, como Caruaru, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe — vem alavancando a produção brasileira, revelando mais um potencial da região.

A seguir, você conhecerá melhor a indústria têxtil do Nordeste, a sua importância, os desafios e expectativas para os próximos anos. Sendo assim, trata-se de um conteúdo fundamental para todo empresário do ramo. Acompanhe!

O polo têxtil do Agreste: um potencial ainda pouco conhecido

Existe um ditado que afirma que aquilo que não é visto não é lembrado. O que ele pretender dizer é que para ficar conhecido, é preciso investir em divulgação. Talvez por isso, o polo têxtil do Agreste ainda não seja conhecido por muitas pessoas, o que não significa que ele não exista.

Ao contrário, caminhando distante dos holofotes, ele vem crescendo e se fortalecendo como uma das regiões mais produtivas e importantes para o setor de moda do país. Aliás, o Moda Center de Santa Cruz do Capibaribe, inaugurado em 2006, é o maior shopping atacadista de confecções da América Latina.

E ele não é o único. Existem, pelo menos, mais seis espaços destinados à comercialização de produtos provenientes da produção têxtil, que emprega mais de 200 mil pessoas na região.

Por isso, é possível afirmar que o polo do Nordeste tem um potencial pouco conhecido, mas ganha força a cada dia, impulsionando a produção brasileira e gerando bons lucros para a região e para o país.

A importância do polo têxtil do Nordeste

O Brasil é um país com uma grande extensão territorial e uma forte indústria têxtil. O polo do Nordeste é um dos principais do país, gerando empregos e contribuindo para o desenvolvimento do mercado local, regional e nacional.

Atualmente, essa região é voltada para a produção têxtil. Muitas pessoas dependem, de forma direta ou indireta, dessas indústrias e, em alguns municípios, a dedicação ao setor é praticamente exclusiva — o que é muito positivo para o país.

Mas o que a torna tão importante? Um de seus grandes diferenciais é a produção pulverizada. Ao contrário de outras regiões do país, no polo do Agreste, a produção não é concentrada nas mãos de uma grande empresa ou cidade. Ao contrário, vários produtores e pessoas se dedicam à confecção.

Tudo isso revela um fator social muito importante. A riqueza é diluída e contribui para a redução das desigualdades econômicas e sociais na região, o que também favorece o desenvolvimento do país como um todo.

Os desafios do setor na região Nordeste

Mesmo com tamanha relevância, não há como ignorar que existem alguns desafios a serem superados. A questão da competitividade é um dos obstáculos que mais chamam a atenção, principalmente quando avaliamos o cenário mundial.

Em regra, a indústria brasileira ainda tem uma baixa produtividade e isso prejudica a nossa competitividade perante os concorrentes internacionais. Entender que não disputamos mercado com o município vizinho, mas sim com o mundo é uma dificuldade nessa região.

A sustentabilidade é outro desafio importante. A indústria têxtil, por si só, já é poluente. Porém, o que percebemos é que em algumas áreas, como a lavanderia, ainda utilizam técnicas defasadas e não aplicam as tecnologias disponíveis no mercado. Do mesmo modo, o descarte do resíduo da costura ainda não é o adequado.

Por último, é preciso enfatizar a questão social, em especial o ambiente de trabalho ofertado aos profissionais. Mesmo com os avanços e esforços, as condições ergonômicas e as relações trabalhistas não são as mais indicadas.

As expectativas para os próximos anos

O Brasil ainda está se recuperando de uma crise, mas é fato que as expectativas para a indústria têxtil no polo do Nordeste são animadoras. No entanto, será necessário uma mudança de comportamento das indústrias ali instaladas.

Com uma mudança acentuada no perfil do consumidor — mais exigente e antenado às novidades —, é preciso se esforçar para modificar o modo de se comunicar e atender às necessidades desse público.

O polo do Nordeste ainda trabalha de forma reativa, isto é, espera o contato do consumidor. Já se sabe que essa estratégia não é eficiente e precisa ser superada. O consumidor contemporâneo busca mais. Ele quer dinamismo e deseja ter a opção de realizar as suas compras online e receber um produto com qualidade sem sair de casa.

Por esse motivo, a tendência é que o mercado se modernize para atender a essa demanda. Como as pessoas estão consumindo de uma maneira diferente, as indústrias devem inovar e oferecer uma experiência de compra mais enriquecedora.

Quebra de paradigmas: o polo do Nordeste ficará mais conhecido

Além dessa mudança no modo de atuar da indústria têxtil nordestina, podemos afirmar que os próximos anos revelarão todo o potencial da região para o país e para o mundo.

É interessante dizer que esse movimento se dará não apenas por curiosidade. Como o mercado nessa região se aperfeiçoará, é natural que os consumidores passem a comprar mais dessas cidades, pois encontrarão a variedade, qualidade e dinamismo que a moda exige.

O polo já atua de maneira diversificada, com produtos de ponta e mais simples. Ao atender diversos públicos e se preocupar com a questão do design e da marca, busca-se agregar valor ao produto, o que certamente contribui para o aumento da rentabilidade do setor.

É essa quebra de paradigmas que impulsionará a produção têxtil no Nordeste e reforçará ainda mais a sua importância para o mercado nacional.

Conforme visto ao longo do post, o polo têxtil do Nordeste é uma força importante para esse setor no país. Apesar de ser pouco conhecido e de ter alguns desafios a serem superados, é fato que investir na região pode trazer bons lucros para os empresários do ramo.

Estar atento às tendências e observar os potenciais regionais de um país tão extenso e com tanta mão de obra e criatividade disponível é uma atitude inteligente. Em resumo, aproveitar essas oportunidades é o que faz um negócio crescer.

Se interessou pelo polo têxtil nordestino? Quer saber mais sobre a região? Entre em contato conosco!