Inteligência Artificial na moda: conheça as aplicações e qual é o futuro6 min read

A Inteligência Artificial (IA) é uma das maiores tendências tecnológicas dos últimos tempos. Junto com o machine learning e outras ferramentas, ela vem sendo aplicada nas mais variadas áreas do mercado —, e com a moda não é diferente.

Por meio de seus avanços, essa ideia trouxe inúmeras soluções inovadoras para o mercado, inclusive o têxtil, e ainda tem muito a ser explorada. A partir daquilo que já se sabe sobre a IA, é possível criar processos e estudar o mercado da moda, os comportamentos dos consumidores, os métodos de produção, padrões de consumo, entre vários outros pontos importantes.

Neste post, vamos mostrar algumas das aplicações da Inteligência Artificial na moda e mostrar algumas perspectivas do futuro com essa tecnologia. Acompanhe o post e saiba mais!

Tecnologias com Inteligência Artificial que estão sendo aplicadas na moda

A Inteligência Artificial é a capacidade de associar aprendizagem, raciocínio e cognição de máquinas e processadores, unindo conhecimentos de computação, matemática, linguagem, neurociência e várias outras áreas. Atualmente, ela pode ser aplicada nos mais simples programas e gerar ótimos resultados para facilitar o cotidiano de pessoas e empresas.

Ademais, com o aumento do uso da tecnologia e as transformações digitais do dia a dia, ferramentas especializadas, como é o caso da IA, tornaram-se cada vez mais necessárias para melhorar a interação de clientes com as marcas ou com os serviços de empresas. Desse modo, é possível encontrá-la em lojas virtuais, sites, blogs, redes sociais, ligações telefônicas e setor financeiro, entre outros locais.

A seguir, vamos apresentar algumas das atribuições da Inteligência Artificial dentro do ramo da moda!

Previsão de tendências

Como visto, a Inteligência Artificial pode ser usada para entender o comportamento humano, principalmente no que se refere ao seu consumo. Por conta disso, ela vem sendo aplicada por diversas marcas para prever tendências e acertar na escolha das novas coleções.

No Brasil, por exemplo, a Amaro, por meio da observação das preferências de seus clientes, gera dados úteis para criar um algoritmo que auxilia as novas produções, a fim de que elas atendam às expectativas de seus consumidores.

Para isso, dados sobre vendas realizadas, interações nas redes sociais, rejeições ou devoluções de itens são usados para prever o que pode agradar o público nas próximas estações. A Inteligência Artificial tem ajudado a processar todas essas informações e a agilizar a confecção de novas linhas, que conseguem ser concluídas em até 1 mês.

Em Santa Catarina, temos outra empresa que aplica técnicas de IA em seu trabalho. A startup Coleção.Moda (C.M) criou um robô chamado Donna, que é capaz de antecipar tendências com o que se observa nas passarelas dos principais desfiles de moda.

Fora do país, a IA também é utilizada a todo vapor para identificar o que pode se tornar uma nova onda no mundo da moda. Empresas como a Tommy Hilfiger, por exemplo, fazem uso da tecnologia para identificar padrões, tons, estilos e silhuetas, para, assim, elaborar novos projetos, sem perder a identidade da marca.

Provador virtual

A startup TrueFit desenvolveu um algoritmo que é capaz de observar, pelo menos, 200 itens diferentes em uma única peça. Com base nisso, permite que um usuário consiga saber se o modelo de uma roupa, por exemplo, tem um bom caimento e serve bem, desde que informe o tamanho que veste em cada marca.

Essa invenção é uma ótima estratégia para aumentar as vendas em lojas virtuais, nas quais os clientes têm receio de comprar por não gostarem da peça, justamente por não terem tido a oportunidade de experimentar antes. Por conta disso, lojas da Ralph Lauren, Macy’s e Levi’s já adotaram a ideia.

E esse não é o único método de provador virtual. Uma empresa localizada na Índia criou também um sistema, chamado VUE.AI, em que o cliente pode visualizar como uma peça fica em seu corpo. Tudo isso é feito com a criação de um avatar, que recebe todas as características de seu corpo e, por meio disso, modela como seria o caimento de uma roupa. A Levi’s também aderiu ao software, assim como a Diesel.

Assistente virtual que dá opiniões de moda

A Amazon é uma grande empresa que está sempre em busca de inovação. Com isso, criou a sua própria assistente virtual, de nome Alexa, que já faz parte de diversos lares por todo o mundo.

Por ter um sistema bastante interativo, a Alexa também é programada para dar a sua opinião quando perguntada sobre o look de uma pessoa. Apesar de não ter tão precisa, ela já dá início a ferramentas já sonhadas em filmes de ficção.

Há também a UNIQLO IQ que, por meio de ferramentas de IA e reconhecimento de voz, ajuda a encontrar roupas que satisfaçam o cliente, oferecendo indicações personalizadas para determinados tipos de eventos e afins. A tecnologia, inclusive, consegue dar sugestões de cores baseadas no horóscopo do usuário.

Filtros de compras

Passar horas revirando uma loja virtual até encontrar o produto que deseja nem sempre é viável para muitas pessoas. Como solução para problemas desse tipo, surgiram alguns aplicativos que ajudam o cliente a achar aquilo que está procurando de maneira muito mais prática.

Um deles é o aplicativo Screenshop, que ajuda a encontrar peças semelhantes a um look visto, por exemplo, em uma página do Facebook ou do blog. Além disso, ele pode ser integrado com os seus perfis nas redes sociais e oferece filtros para achar o produto com menor preço. Existe também o Heuritech que funciona de maneira parecida, porém, voltado para marcas de luxo.

O futuro do mercado da moda com Inteligência Artificial

Com base no que já se conhece, o que se pode esperar do futuro do mercado da moda é que ele acompanhe as atualizações tecnológicas e use esses benefícios para se aproximar do cliente e atender a demandas mais personalizadas, a fim de ajudar as pessoas a criarem o seu estilo pessoal.

Outro ponto que é esperado com o refinamento da tecnologia é a busca pela sustentabilidade. A IA é uma ótima ferramenta para ajudar na tomada de decisões ecologicamente corretas e que contribuem para a redução de lixo e de danos ao meio ambiente.

Por fim, a antecipação de tendências também está caminhando para se tornar algo bem mais acessível à maioria das marcas. Até mesmo a Amazon tem um projeto chamado AI Fashion Designer, que visa usar um algoritmo que identifica as possibilidades de movimentos do mercado da moda.

Tendo em vista todo esse contexto, o ideal é que as empresas comecem a entender e a aplicar mais a Inteligência Artificial em seus processos, desde a tomada de decisões até a produção, a fim de aproveitar os benefícios digitais e acompanhar as tendências do mercado.

Gostou do post? Para continuar por dentro das novidades, assine a nossa newsletter e receba sempre as nossas atualizações.