Sustentabilidade na indústria têxtil: tendências inovadoras para proteger o meio ambiente3 min read

A sustentabilidade na indústria têxtil já é uma preocupação real e se tornou alvo de pesquisas e investimento. Estima-se que o aumento da produção de roupas deva dobrar em menos de dez anos.

Dois grandes impactos desse volume são a necessidade maior de matérias-primas e o descarte do que já não for mais utilizado (hoje, o destino principal é o lixo). Sem contar no consumo de água e energia elétrica.

Uma das medidas mais simples de praticar o conceito de sustentabilidade no setor é a reutilização. Mas como fazer isso? É o que vamos mostrar a partir de agora neste artigo.

Sustentabilidade na indústria têxtil como negócio

Alguns empreendedores perceberam a grande oportunidade na produção de fibras e tecidos reciclados. Eles desenvolveram novas tecnologias (algumas muito simples) para reaproveitar diversos materiais, não apenas resíduos têxteis, e estão criando novos mercados.

Indústrias também têm buscado inovações com base no reaproveitamento de retalhos. Além de apostar na utilização de tecidos reciclados, elaborados por novos fornecedores.

O investimento em iniciativas sustentáveis, além da questão ambiental, pode representar lucratividade para toda a cadeia de produção.

Boas práticas e técnicas sustentáveis

Reutilização de água

A utilização da água nas etapas da produção têxtil corresponde a um dos maiores impactos em recursos naturais causados por essa indústria. Há alguns anos já estão sendo feitos investimentos para reuso da água e sistemas químicos aplicados para devolvê-la com qualidade ao meio ambiente.

Retalhos

No Brasil, diversas iniciativas estão acontecendo para garantir uma correta destinação dos resíduos têxteis. A partir de uma coleta organizada e parcerias com iniciativas sociais, os retalhos vêm ganhando nova utilidade no vestuário e decoração, ajudando na economia de muitas famílias.

Reciclagem

Quanto às iniciativas de reciclagem, diversos projetos que utilizam garrafas plásticas descartáveis para confecção de acessórios, como bolsas, nascem regularmente. Garrafas plásticas também podem passar por um processo químico que as transformam em poliéster, como produto final.

Refibra

Trata-se de uma fibra produzida a partir resíduos de madeira, algodão e celulose. Desenvolvida pela empresa austríaca Lenzing, a Refibra demonstrou performance de alta qualidade e provou que materiais que seriam descartados podem ter alto potencial de reutilização.

Tricô 3D

A italiana Benetton desenvolveu o conceito de fio único. É um procedimento realizado em máquina de tricô 3D que confecciona uma peça a partir de um único rolo de fio, sem costura, evitando qualquer desperdício.

Um diferencial criado pela empresa é que, depois de um tempo de uso, o consumidor pode devolver a peça, que é encaminhada novamente à fábrica e passa por uma reciclagem, resultando em novos rolos de fio.

O desafio de preservar recursos naturais tornou-se responsabilidade de todos. O setor industrial precisa rever seus processos de produção com o compromisso de reduzir o impacto ambiental.

Produzir de maneira mais limpa e com consciência ecológica é um objetivo que já começou a ser trabalhado nas cadeias de produção. E a sustentabilidade na indústria têxtil, cada vez mais, está se tornando uma prática de engajamento que resulta em lucratividade.

Este conteúdo ajudou você a perceber novas tendências para o setor e oportunidades de negócio? Então nos siga no TwitterFacebookInstagram e LinkedIn para saber mais novidades.