5 diferentes técnicas de impressão para decoração de interiores3 min read

Para quem está procurando um novo negócio, o ramo da estampagem é bastante vantajoso, porém, exige bastante estudo e análise em relação às diferentes técnicas de impressão. Antes de tudo, é importante definir qual é o seu objetivo, produto final e materiais favoritos.

Após isso, é possível montar o seu projeto e identificar as técnicas de impressão que permitem o melhor resultado. Neste post, reunimos os principais métodos de produção de estampas para decoração de interiores. Tem interesse em saber mais sobre o assunto? Então, não deixe de continuar a leitura!

1. Estamparia

A estamparia é o método mais tradicional e simples. Trata-se da impressão direta no material em questão — que, geralmente, é um tecido. Esse procedimento se limita a impressão de até quatro cores, sendo necessário esperar um determinado tempo de secagem, que é feita intercaladamente.

Apesar de exigir um baixo custo, é um dos métodos que requerem mais tempo. Portanto, se o seu objetivo é agilidade e alta produção, esse pode não ser o mais indicado. No entanto, caso você queira começar nesse mercado aos poucos, a estamparia é uma boa opção.

2. Bordado

O bordado é um processo que demanda a costura de um fio ou linha em um artigo têxtil. Por ser um método caracteristicamente artesanal, tem um grande valor no mercado, embora também esteja longe de ser o procedimento mais ágil.

Os traços em alto-relevo únicos desse tipo de impressão são o seu grande diferencial. Além disso, é comum que ele seja usado para a reprodução de logotipos ou de imagens pequenas, afinal, é feito fio por fio e foca em cada detalhe.

3. Impressão digital

A impressão digital é um dos métodos desenvolvidos por meio dos avanços da tecnologia. Nesse caso, é possível ter produtos personalizados, rápidos e de alta qualidade. Além disso, não se limita apenas aos objetos têxteis ou pequenas peças, podendo produzir em grande escala e em outros materiais, como canecas, chinelos, entre outros.

O seu processo necessita uma impressora, papéis autocolantes e telas. Uma de suas desvantagens é que só pode ser feito em quadricromia, ou seja, apenas é capaz de imprimir as cores CMYK — ciano, magenta, amarelo e preto — e suas combinações.

Por exigir materiais específicos, o seu investimento inicial pode não ser um dos mais baixos. Além disso, essa técnica se desenvolveu em diversas outras categorias, como a impressora digital a laser e UV.

4. Offset

Outro método de impressão bastante conhecido é o offset. Ele começou a ser muito utilizado a partir de meados do século XX por permitir impressões de larga escala.

Apresentando uma boa qualidade e agilidade de processos, essa técnica pode ser aplicada em papéis, plástico e tecidos. Para isso, é usado um cilindro metálico como matriz, onde é inserida a imagem. Depois de ser inserida a tinta nessa peça, a imagem é transferida para outro cilindro, dessa vez, de borracha, que imprime a estampa no material final.

5. Serigrafia

A serigrafia é uma técnica milenar de impressão, originada na China, aproximadamente no século X. Ela usa o famoso silkscreen, que é uma tela sobreposta em painéis de fios de nylon. Assim, a tinta atravessa essa trama, colorindo o tecido, de acordo com o molde.

Como resultado, ela oferece diferentes texturas e colorações, podendo, também, reproduzir diversas estampas. Entretanto, uma de suas limitações é a necessidade de construir uma tela para cada imagem desejada.

Como você pôde ver, existem diversas técnicas de impressão para decoração de interiores — e definir qual é a melhor vai depender da sua necessidade e capacidade de investimento.

Gostou deste post? Para ficar por dentro das novidades do setor têxtil, siga as nossas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.