5 dicas para aumentar a sua competitividade no setor têxtil6 min read

Hoje em dia, a concorrência no setor têxtil é muito grande. Afinal, estamos em um mercado globalizado, no qual pessoas e empresas podem comprar produtos de quaisquer países. Portanto, aumentar a competitividade é um desafio importantíssimo.

Vale lembrar que as companhias asiáticas têm conseguido se destacar no segmento até agora, com suas práticas de mão de obra e matéria-prima muito baratas. Para ajudar os negócios nacionais, preparamos este artigo com dicas do que fazer perante a concorrência para ter um papel ativo no mercado.

Há ações simples e investimentos importantes que podem melhorar bastante os resultados de uma empresa. Se você quer conhecê-los, continue a leitura!

1. Invista em tecnologia

O investimento em tecnologia é um grande diferencial para o setor têxtil, visto que ainda há muitas empresas que trabalham com processos manuais no Brasil. A seguir, veja quais cuidados são recomendados.

Automação da linha de produção

Globalmente, podemos notar a mecanização da produção e a adoção de estratégias de gestão digitalizadas, especialmente na China. Com isso, a força de trabalho humana tem sido abandonada em várias tarefas repetitivas, nas quais não há um bom desempenho (devido às limitações físicas e psicológicas das pessoas).

Atividades como cortes e costuras demandam muitos movimentos repetitivos. Então, várias pausas devem ser feitas para evitar lesões de trabalho, o que faz com que a produtividade individual dos funcionários vá caindo ao longo do dia.

Assim, a mecanização acaba se tornando uma solução para aumentar a competitividade do segmento. Já existem várias máquinas de corte e costura automatizadas para todos os portes de empresas, das pequenas às grandes.

Digitalização da gestão

Mas não é só na linha de montagem que a tecnologia ajuda. As empresas do setor têxtil têm de começar a pensar na otimização da gestão e da administração para colherem resultados cada vez mais positivos. Atualmente, os softwares de ERP (voltados à gestão) e RPA (referentes à automação) são as melhores inovações.

Na primeira opção, você encontrará ferramentas digitais e automatizadas para diversos setores do negócio, como financeiro, estoque, vendas, Recursos Humanos etc. Na segunda, é possível substituir parte da mão de obra humana por robôs de processos, que são capazes de manipular o sistema com pouca ajuda humana.

Impressão digital e 3D

Por fim, quando falamos de tecnologia, não podemos nos esquecer das novas impressoras digitais têxteis. Por meio delas, seu grupo de design pode criar estampas e padrões em softwares especializados, imprimindo-as em seguida.

Assim, em vez de grandes equipamentos para a serigrafia e o tingimento, seu negócio só precisará de uma impressora digital — que se parece com uma versão maior daqueles equipamentos que temos em nossos escritórios.

Além dessas vantagens, vale destacar a maior economia de corantes e tintas, pois são utilizadas técnicas modernas, como sublimação e aplicação direta no tecido. Há, ainda, o desenvolvimento da tecelagem 3D, ou seja, máquinas capazes de produzir automaticamente tramas de fios e tecidos.

A promessa dos fornecedores desse tipo de tecnologia é que, em alguns anos, uma peça inteira possa ser fabricada em impressoras 3D.

2. Eleja diferenciais para a marca

Existem algumas medidas que não demandam um aporte muito grande de capital. Afinal, os equipamentos inovadores são caros e podem estar fora do alcance de alguns negócios. No entanto, há soluções que requerem somente um esforço interno dos gestores e das equipes, como a diferenciação da marca.

Devido à extrema competitividade do mercado, sua empresa não pode “atirar para todos os lados”, querendo atingir vários públicos. É muito melhor escolher um conjunto pequeno de diferenciais e investir bastante neles para criar uma imagem única no mercado. As opções são inúmeras:

  • preço: sua marca pode buscar estratégias para reduzir os custos operacionais e com matéria-prima, além de diminuir um pouco o lucro, para oferecer produtos em conta aos clientes e se diferenciar da concorrência;
  • entrega rápida: no caso das lojas virtuais, é possível optar pela otimização da cadeia logística para entregar produtos em prazos muito menores do que os concorrentes;
  • personalização: apostar em itens únicos pode ser uma ótima estratégia para ter um grupo de consumidores exigentes e fiéis, que não se importem com o preço;
  • segmentação: trata-se de focar em um grupo bastante específico. Alguns varejistas se especializaram no público geek e vendem camisetas de games, filmes ou séries, por exemplo. Outras tecelagens podem se concentrar na criação de estampas étnicas ou nos processos livres de produtos e testes em animais.

3. Opte pela mão de obra qualificada

A mão de obra faz toda a diferença nas etapas do processo produtivo têxtil. Veja os exemplos a seguir:

  • criação: o designer deve ficar sempre por dentro das tendências do setor, para produzir desenhos e estampas que estejam na moda;
  • produção: pessoas com pouca qualificação geralmente produzem peças com muitos erros, o que demanda retrabalho. Caso o problema não seja percebido no controle de qualidade, os itens com defeito podem chegar aos clientes e gerar muita insatisfação, o que comprometerá a imagem da marca;
  • vendas: você precisa contar com um time que realmente conheça seu produto e saiba aquilo que o público pensa, para que a mensagem de venda seja mais persuasiva.

Devido ao baixo custo da mão de obra, as empresas chinesas geralmente conseguem desenvolver peças mais baratas. No entanto, a falta de qualificação compromete a qualidade do produto. É aí que pode entrar o diferencial competitivo do seu negócio.

4. Trabalhe com insumos de qualidade

Os consumidores são bastante exigentes quando o assunto é vestuário. Afinal, ninguém quer usar uma peça de qualidade inferior, pois isso compromete a imagem pessoal. Para garantir a competitividade no setor, portanto, você precisará de matérias-primas e suprimentos superiores. Esse cuidado trará um diferencial muito grande.

Se pararmos para pensar, todas as grandes marcas, como Nike e Adidas, têm seu sucesso creditado à qualidade da matéria-prima usada. Você não espera que uma camisa de grandes grifes desbote em uma lavagem, que os fios da costura se rompam ou que o tecido incomode durante o uso, certo?

5. Participe de feiras do setor

Por fim, não podemos deixar de falar sobre as feiras, que são oportunidades únicas para fazer excelentes negociações com outras empresas da área. Assim, você pode conversar pessoalmente com os tomadores de decisão das demais companhias, para que ambos barganhem preços e condições a fim de fecharem vendas.

Além disso, os eventos geralmente contam com a presença das principais fornecedoras de insumos e tecnologia têxteis. Portanto, é possível conhecer as tendências do mercado global e conseguir competir de igual para igual com empresas asiáticas.

Seguindo nossas dicas, você aumentará sua competitividade no setor têxtil. É preciso aproveitar a retomada da economia para investir cada vez mais em estratégias que agreguem valor ao negócio e aos produtos, fazendo com que sua empresa ganhe maior destaque no cenário nacional e internacional. O processo não é simples em alguns casos, mas o retorno sobre o investimento será alto!

Quer saber como começar a automatizar sua produção? Então, não deixe de conferir nosso artigo sobre a automação no setor têxtil!