Confira 8 tipos de matérias-primas utilizadas na indústria têxtil6 min read

As matérias-primas utilizadas na indústria têxtil são diversas, e a principal finalidade é proporcionar, ao mercado e às organizações, as mais distintas soluções em fibras. Nesse sentido, é primordial que os colaboradores do setor de vestuários conheçam os tipos de tecido e como cada material utilizado se comporta.

Dessa forma, eles poderão direcionar com propriedade qual trama de tecido é mais adequada a cada modelo de roupa. Por isso, é importante saber que as matérias-primas aplicadas na indústria têxtil podem ser de origem química ou natural.

Os fios que provêm da natureza podem ser de fonte animal, por exemplo, a lã, a seda, ou vegetal, como linho, o algodão e o rami. Já as matérias-primas de origem química aplicadas na indústria têxtil podem ser de procedência vegetal ou petroquímica e classificadas como artificiais e sintéticas, como o acetato e viscose.

Continue a leitura e confira 8 tipos de matérias-primas utilizadas na indústria têxtil!

1. Elastano

O elastano também é comercializado com o nome lycra, essa fibra se destaca pela elevada recuperação após a distensão e tem ótima resistência.

O elastano pode ser misturado com outros tipos de fios, o que proporciona conforto às roupas. Esse material é muito utilizado com a poliamida (nylon) para confeccionar lingeries e sportswear.

2. Algodão

O algodão consiste em uma fibra natural, resistente e longa, o que garante excelente durabilidade e qualidade ao tecido. Seu aspecto permite que a pele respire, o que é essencial em dias mais quentes, visto que o algodão é capaz de absorve a umidade e sua secagem é muito rápida, evitando que o suor fique no corpo.

Desse modo, a fibra de algodão apresenta uma versatilidade muito elevada, criando tecidos de boa qualidade tanto para os dias quentes quanto para os dias frios, sendo o egípcio e o pima as fibras que têm a maior qualidade.

Por exemplo, o tricoline acetinado, o crepe, a cambraia e o cetim são tecidos que têm o algodão como base. Desse modo, eles são mais leves e ideais para dias com temperaturas elevadas. Já a gabardine é um tecido mais propício para os dias mais frios. Também pode ser misturado com a microfibra, que dá a ele características impermeáveis.

3. Lã

A lã é uma fibra natural proteica elaborada a partir da tosa de carneiros, ovelhas e cabras. Sempre que falamos em lã, a primeira coisa que vem à mente das pessoas é aquela blusa quentinha ou aquele agasalho que pinica, mas as coisas não são bem assim.

É importante destacar que lã fria, executada com 100%  de lã, é propícia ao clima quente. Os panos de lã fria são formados por fios muito finos, por esse motivo são considerados confortáveis, leves e, principalmente, ideais para vestimentas de alfaiataria.

A lã é comercializada como Super 100, 120, 150 ou 180. Quanto maior o número, mais fino o fio e, assim, o conforto é garantido.

A distinção entre os tecidos de lã fria e os de lã tradicional é o fio. Ou seja, no caso das roupas produzidas de lã tradicional o fio é mais grosso. Logo, as peças são mais pesadas e esquentam mais, sendo mais adequadas para o período de inverno.

4. Seda

A seda é uma fibra natural obtida do casulo do bicho-da-seda. É considerada a fibra mais resistente, além de ser bem macia e longa. Não contêm muito brilho e apresenta elevada absorção, contribuindo para a respiração da pele e propiciando um uso agradável nos dias de elevada temperatura.

Entretanto, o valor da seda costuma ser um pouco elevado. Algumas pessoas substituem-na pelo tricoline acetinando, que é 100% algodão, sendo que um dos seus lados é mais brilhoso.

É necessário destacar que várias marcas trabalham com formas não tradicionais ao processo. Elas utilizam em suas peças a seda criada manualmente de casulos eliminados pela indústria convencional.

5. Viscose

A viscose é considerada uma fibra artificial, visto que é produzida a partir de celulose, retirada de árvores e plantas. Os tecidos que têm viscose em sua composição são frescos e leves, pois, assim como o algodão, eles são capazes de absorver a umidade e sua secagem é muito rápida.

Desse modo, é uma das matérias-primas utilizadas na indústria têxtil que têm um preço mais em conta. Devido à semelhança entre a viscose e algodão, em algumas situações a substituição é interessante. A desvantagem é que a viscose amassa facilmente.

6. Tencel

Tencel ou modal são nomes presentes no mercado para designar o lyocel. Uma matéria-prima elaborada de forma ecologicamente correta, por ser biodegradável. Produz peças resistentes, com um toque suave e apresenta uma excelente modelagem. Macio como o algodão, tem um ótimo decaimento, boa resistência à umidade e aspecto levemente brilhoso.

7. Linho

O linho faz parte do grupo das fibras naturais e apresenta características parecidas com as do algodão. Mas a sua resistência, que é a propriedade de retornar à forma original após ter sido submetido a uma deformação elástica, é bem reduzida. Dessa forma, o linho amassa muito e sua passagem é difícil.

É necessário destacar que o amasso do linho deixa um aspecto “chique”. Além do mais, ele pode ser fabricado com outras fibras, por exemplo, a viscose e o algodão. Essa mistura origina um tecido com propriedades de maciez, melhor caimento e se torna mais fácil de passar.

8. Poliéster

O poliéster é uma fibra sintética usada, especialmente, em misturas quando se pretende reduzir a característica amassada do pano. Essa fibra é produzida a partir do petróleo, isto é,  por meio de recursos não renováveis. Assim, é um plástico, por isso não favorece a respiração da pele e não permite tanta troca de calor com o ambiente externo.

Quando essa fibra é misturada com outras, proporciona uma modelagem fácil, garante mais resistência, beleza e funcionalidade para peças como bermudas e calças.

Portanto, é primordial que todos os colaboradores envolvidos no planejamento do processo produtivo da confecção saibam as principais características dos tecidos, suas propriedades de caimento, sua classificação e adequação. Sendo assim, visite feiras do setor têxtil para você ficar por dentro das novas matérias-primas utilizadas na indústria têxtil.

Nosso artigo foi esclarecedor e útil para você? Ficou com alguma dúvida ou gostaria de ter mais informações a respeito? Então, entre em contato conosco! Será um prazer atendê-lo.