Entenda como funciona a indústria têxtil na era da transformação digital6 min read

A indústria na era da transformação digital começou a apresentar diversas implementações, com fortes impactos no quesito social, econômico e ambiental por meio da produção e prospecção de novos clientes. Esse novo período é conhecido como a Quarta Revolução Industrial e influencia todos os setores do mercado, inclusive, o segmento têxtil.

Essa nova revolução acontece devido ao processo de mudanças tecnológicas que todo o mundo passou a ter desde o início do novo milênio. Isso mudou também a sociedade no seu modo de se relacionar, agir e pensar, de forma que é impossível não contar com algum dispositivo eletrônico no seu dia a dia.

Para acompanhar as tendências tecnológicas, a indústria também precisou acompanhar o avanço da humanidade. Por isso, montamos este post para explicar a evolução dos meios digitais, especialmente na área têxtil. Quer entender melhor esse assunto? Então confira mais a seguir!

A evolução da transformação digital na indústria

Cada fase da transformação digital na indústria se inicia com uma revolução industrial. Ao total, 4 delas aconteceram nos últimos 300 anos. Com as revoluções, o estilo de vida da sociedade passou por mudanças, desde novos empregos até a forma de se relacionar com o acesso à informação.

Com a evolução da tecnologia, a qualidade de vida também conseguiu aumentar, consequentemente, favorecendo os negócios de diversas empresas. Conheça um pouco mais sobre o percurso histórico dos meios digitais e a sua influência no meio social!

Primeira revolução industrial

No final do século XVIII, as indústrias começaram a mudar o seu meio de produção. Com o avanço do conhecimento científico, a manufatura pôde ser substituída pela força mecânica, não sendo mais necessário o esforço físico de pessoas e animais.

Essa nova estrutura possibilitou uma maior agilidade nos processos e um menor custo de produção, aumentando, assim, a produtividade e a lucratividade. O mercado têxtil foi o mais beneficiado por essa tecnologia na época.

Segunda revolução industrial

Essa revolução começou no século XX, com o uso da energia elétrica e petrolífera para aprimorar as máquinas já existentes. Além disso, aconteceu no contexto da invenção do telégrafo e do telefone, um meio de comunicação em massa que facilitou a troca de informações e negociações da indústria.

Terceira revolução industrial

Após as guerras mundiais, o conhecimento tecnológico cresceu muito. Ao passo que, por volta dos anos 1970, essa ciência foi ainda mais implementada em ferramentas de produção industrial, principalmente com o processo de automatização, que substituiu o trabalho mecânico pelo digital.

Quarta revolução industrial

Por fim, no contexto atual, inicia-se a quarta revolução industrial, que tem como protagonista a internet para o desenvolvimento tecnológico, permitindo um rápido acesso à informação e ampla comunicação.

Além disso, o avanço da ciência permitiu unir os conhecimentos analógicos, biológicos e digitais para criar tecnologias mais eficientes. No entanto, com a rápida degradação ambiental, essa nova era também é marcada pela necessidade de meios de produção sustentáveis, junto da redução de desperdícios e de lixo.

A transformação digital na indústria têxtil

Desde as primeiras revoluções, a indústria têxtil foi uma das mais beneficiadas pelas transformações digitais. Atualmente, elas conseguem oferecer mais conhecimentos científicos, emprego de novos materiais, hibridização de serviços, novas técnicas de gestão, canais comerciais, entre vários outros benefícios.

Além disso, com uma maior praticidade na comunicação entre a produtora e o consumidor, os clientes se sentem mais confiantes na hora de fechar um negócio, garantindo a sua fidelidade. Sem contar que o investimento em biotecnologias contribui para a melhoria da qualidade de fios, tecidos e demais produtos.

Confira as principais apostas da transformação digital na indústria têxtil para os próximos 10 anos!

Na economia

O mercado prevê a entrada de cerca de 1,8 milhão de novos consumidores nos próximos anos. A característica principal desse público é a busca de valor naquilo que consome, por isso, o setor têxtil tem grande visibilidade nessa era, visto que o vestuário é a principal estratégia usada pelos indivíduos para evidenciar o seu estilo de vida e os seus ideais.

Além do mais, o mercado estará à procura de profissionais bem formados, por conta do aumento da complexidade nos meios de produção têxtil, da necessidade de hibridização de serviços e da atenção às responsabilidades socioambientais.

Na sociedade

A moda é a principal responsável por promover a personalização e a individualização da imagem de uma pessoa. Oferecer ao usuário um produto único é uma ótima forma de prospecção de clientes e, como a internet oferece uma maior comunicação com o público, é muito mais simples para a empresa conhecer as preferências de seus consumidores.

Outra tendência é a flexibilização de horário e local de trabalho dos colaboradores. A cada dia, os indivíduos buscam por mais liberdade no cotidiano, e isso também vale no ambiente corporativo. A interdisciplinaridade de competências e serviços também é resultado do desenvolvimento tecnológico.

No meio ambiente

A principal responsabilidade da indústria têxtil com o meio ambiente é a busca da redução de desperdícios e a procura por materiais biodegradáveis. Um menor consumo de água, produtos tóxicos e energia será necessário para preservar as últimas reservas do planeta e começar a recuperá-lo.

O meio tecnológico pode ser de grande ajuda nesse cenário, com a criação de materiais com baixo impacto ambiental e a divulgação da responsabilidade socioambiental das empresas, atendendo aos pedidos de políticas e movimentos sociais em busca da sustentabilidade.

Principais tendências tecnológicas na indústria têxtil

Como o papel principal da tecnologia na indústria têxtil será evitar o desperdício em excesso, seja de tempo, seja de material, as simulações e as modelagens computacionais serão importantíssimas para cumprir essa tarefa, digitalizando a cadeia de valor.

Além disso, o processo de realidade aumentada, com a virtualização 3D e o armazenamento em nuvem, auxiliará na interface consumidor e produtor, aumentando a confiança de ambos os lados. Os métodos de automação e robótica também serão essenciais para uma produção sustentável e econômica.

A integração digital favorece também a melhoria do design e o desenvolvimento do produto. Com softwares voltados para a confecção têxtil, é possível alcançar uma maior inovação. A inteligência artificial é outra ótima ferramenta para melhorar os serviços e a produção.

Conhecendo o papel que a indústria na era da transformação digital apresenta, é possível visualizar a importância de começar a investir em novos meios a fim de preparar o seu negócio para o novo contexto tecnológico, especialmente na cadeia têxtil.

Gostou do nosso post? Então, veja também como iniciar o processo de automação na produção têxtil!